Eduardo Bolsonaro defende o uso de dinheiro público para Lutas Ideológicas

14 de outubro de 2019 20:19

Havíamos noticiado que a Conferência Conservadora utilizou de R$ 800.000,00 a R$ 1.000.000,00 dos cofres públicos para ser realizada, leia aqui.

Eduardo Bolsonaro, o principal nome da conferência, confirmou a notícia.

Sua resposta em vídeo do twitter é transcrita abaixo:

CPAC foi um evento sensacional (…) De tanto sucesso, vai haver um pessoal que vai tentar prejudicar o evento. O que eles dizem é que o PSL utilizou dinheiro público para fazer o evento. De todo fundo partidário, 20% tem de ir para as fundações e as fundações tem o dever de difundir as ideias delas. Se a gente economizar e não for gasto nenhum dinheiro desta fundação, sabe o que vai acontecer? Este dinheiro vai ser redistribuído para as fundações dos outros partidos. Ou seja, vai acabar indo, inclusive para o PT, pro PCdoB, pro PSOL, pra colocar adiante a sua doutrina comunista, os seus valores anti-cristãos. O que nós fizemos foi atender a lei, tirar o bumbum da cadeira, trabalhar, ralar, pra fazer o negócio acontecer, pra amanhã a gente não ficar aqui chorando as pitangas dizendo que o PT voltou e as pessoas ainda assim querendo vir me culpar dizendo que eu não fiz nada. (…) E não se deixa abater pra esse pessoal do “mimi”, isentão, que quer dar opinião.

Eduardo Bolsonaro, transcrição de vídeo do Twitter: 14 de outubro de 2019.

Você pode conferir o vídeo também:

Basicamente, o que Eduardo Bolsonaro aponta é que o dinheiro do fundo partidário foi utilizado para evitar que ele fosse redistribuído entre os outros partidos com ideologias adversas a dele.

Ademais, o evento foi realizado para propagar a ideologia, “cristã e conservadora do partido”, para evitar um levante comunista, sic.

A despeito deste último ponto, o CPAC vs o Comunismo, a luta de ideologias, estamos elaborando uma reportagem, que até o final desta semana será disponibilizada.

Podemos concluir, com a fala de Eduardo Bolsonaro, que o PSL está utilizando da mesma estratégia tão criticada do PT: utiliza-se das estruturas do Estado para se perpetuar no poder.

Quem ganhará a luta ideológica? O Comunismo, no contexto atual, ainda é possível? Ou seria este um conto para Cervantes? Só o tempo dirá, vai um Engenheiros aí?

Receba informações em primeira mão