Ciro Gomes disputa liderança da esquerda com Lula enfraquecido

15 de novembro de 2019 13:12

Ciro Gomes não guarda segredos de suas mágoas por ser preterido pelo Lula à presidência da República no último pleito.

Sabemos que ele preferiu ficar em Paris no segundo turno, em vez de apoiar o candidato da esquerda, Haddad.

Ademais, o seu irmão e então governador do estado do Ceará, Cid Gomes, é autor da icônica frase:

O Lula tá preso babaca.

Cid Gomes

Percebeu-se um gradativo aumento nos ataques de Ciro ao governo petista em entrevistas no decorrer do corrente ano, até que houve uma clara mudança em sua retórica que passou da animosidade por ter sido preterido ao pleito de 2018 ao declarado escárnio.

É bem provável que com esta estratégia de anti-petismo, Ciro Gomes identificou uma grande oportunidade eleitoral para o pleito de 2022: a de angariar os eleitores que somente votaram em Bolsonaro por ter sido o candidato que melhor soube capitalizar o sentimento anti-governista da sociedade naquela época.

Além da estratégia “cirista” de se pautar por estas pessoas que votaram em Bolsonaro por seu anti-petismo e que não tem uma visão clara do mundo que as cerca, Ciro agora disputa os votos da esquerda desiludida com o lulismo.

Nesse sentido, Ciro critica ferrenhamente o governo petista por ter sido responsável pelo endividamento de milhões de brasileiro e não por ter tirado milhões da pobreza como Lula orgulhosamente fala.

Isto porque, para Ciro, o governo petista governou manifestamente para os trabalhadores e miseráveis, porém, por baixo dos panos, foi cooptado pelo “baronato” (capital financeiro e rentista) e isto explica o porquê tanta gente ficou endividada: houve uma tremenda redistribuição e comprometimento da renda das famílias para pagar os juros do consumo que excedeu as suas capacidades produtivas ao setor financeiro.

Em mais um dos seus ataques ao lulismo, Ciro Gomes, em entrevista à Rádio Gaúcha da RBS disse que a esquerda do PT falhou por conta da sua corrupção generalizada:

Qual é a união necessária no Brasil? Não é a união da esquerda. A esquerda fracassou no Brasil, a esquerda-petista. Entregou para o bolsonarismo. Fracassou por conta de uma generalizada corrupção. Então nós temos que engolir todas as bandalheiras do PT? Isso não é pra mim.

Entrevista de Ciro à Rádio Gaúcha do Grupo RBS.

Há dois gigantes disputando a esquerda atualmente: de um lado há um bacharel em direito, professor, advogado, que vem se preparando intelectualmente há muito tempo para a presidência, porém que não sabe falar com as massas, do outro lado: há um líder carismático que sabe mover as massas, porém carrega a pecha de suposto (utilizou-se “suposto” porque ainda não foi condenado) criminoso e corrupto.

Quem será que ganhará esta disputa na esquerda?

A intelectualidade ou o carisma?

Receba informações em primeira mão